segunda-feira, 28 de maio de 2012

A vergonhosa e cínica JU$TI$$A brasileira

 

Por Alamar Régis Carvalho

Eu já escrevi várias vezes sobre a porcaria da “justiça” brasileira, que é tão cínica, tão sem vergonha, descarada e mercenária que optei por identificá-la como JU$TI$$A.

É uma tristeza constatar que a “justiça” no Brasil só existe para quem tem dinheiro.

Vamos aos mais recentes episódios:

 

Presa e morta na cela

 

A imprensa anunciou semana passada que uma jovem irresponsável deixou o seu filho menor em casa, apenas em companhia da avó bastante idosa e doente, saindo para uma festa onde ficou a madrugada inteira dançando e namorando.

Tendo sido denunciada, por abandono de menor, foi detida e colocada atrás das grades.

Por que foi presa?

Porque não teve DINHEIRO para pagar fiança.

O pior vem agora:

Ela foi colocada numa cela, juntamente com prisioneiras bandidas perigozíssimas, todas assassinas com históricos de crimes com altos índices de perversidades.

Resultado: A nova prisioneira foi assassinada, logo no primeiro dia, pelas outras presidiárias.

A burrice da porcaria da JU$TI$$A brasileira é tão grande que não consegue entender que um praticante de crimes leves não deve, nunca, ser colocado em uma cela com bandidos criminosos, que são assassinos de alta periculosidade.

A burrice de muitos magistrados também é algo notável, pois não se admite que um juiz seja tão imbecil para não perceber uma coisa desta, usando um pouco de lucidez e de bom senso. Aí aparece um monte de babaca de toga para comodamente dizer: “Eu tenho que cumprir a Lei”.

E a sua inteligência, o bom senso, a coerência e o compromisso com os princípios básicos de autêntica Moralidade e Decência, onde é que ficam?

Data Vênia, Doutor, mas na sua caixa craniana existe um cérebro ou um monte de fezes?

Conclusão: O filho da mulher, em vez de ficar sem a mãe apenas por algumas noites, ficou definitivamente sem ela, para toda a sua vida. Todo por conta da JU$TI$$A brasileira.

Se ela tivesse DINHEIRO para pagar fiança, não ficaria presa e não perderia a vida do seu corpo.

 

Idosa de 74 anos presa por não ter dinheiro

 

Dona Luiza Pereira Rodrigues, uma senhora idosa, de 74 anos de idade, aposentada com apenas um salário mínimo, foi presa, mês passado, colocada atrás das grades, na cidade de Vianópolis, a 80Km de Goiânia, porque não teve condições de pagar uma suposta pensão alimentícia aos seus netos.

Se tivesse sido colocada numa cela juntamente com assassinas, certamente teria sido assassinada também.

Não teve argumento que convencesse ao advogado e ao juiz para soltar a mulher. Teria que ter DINHEIRO para resolver o problema.

Foi preciso que a população indignada, constrangida e revoltada se cotizasse e arrumasse o DINHEIRO para comprar a liberdade daquela senhora, que tem histórico de honestidade, nunca roubou e nunca matou ninguém.

 

Daniel Dantas tem muito dinheiro

 

Daniel Dantas, dono do banco Opportunity, foi preso pela Justiça Federal em São Paulo, depois de muita investigação e comprovações cristalinas dos crimes cometidos por ele.

Mas, porque tem MUITO DINHEIRO, foi providenciada a sua liberdade, imediatamente, a ponto do próprio presidente do STF atuar como juiz comum, na assinatura do seu “habeas corpus”.

Vejam bem, gente: O próprio presidente do STF, o homem ocupadíssimo com um dos maiores cargos de um País, tendo que descer da sua posição para atuar como juiz comum, para colocar em liberdade um homem que tem MUITO DINHEIRO.

 

Busca e apreensão por interesse dos bancos

 

Os bancos, que tem muito dinheiro, conseguiram que os deputados fizessem uma lei que lhes permite fazer busca e apreensão de um veículo que está com as prestações atrasadas, à revelia, sem que o cliente em atraso tenha qualquer direito de defesa.

É isto mesmo. Se você, que tem um carro financiado, atrasar o pagamento, o banco entra com ação contra você, os juízes, desta mesma justiça que é lenta só para as ações comuns mas para bancos é agilíssima, assinam a apreensão com a maior pressa do mundo, oficiais de justiça, que são sempre ocupados e nunca tem tempo para outras diligências, aparecem aos montes para ir à sua casa lhe tomar o veículo.

Você não tem direito de defesa.

A Constituição Federal não serve pra porcaria nenhuma, quando está em jogo os interesses de quem tem dinheiro.

 

Carlinhos Cachoeira de Márcio Thomaz Bastos

 

O Brasil está vivenciando hoje umas das mais deprimentes ações desta sem vergonha, cínica e descarada JU$TI$$A brasileira, neste caso do tal Carlinhos Cachoeira.

Todo mundo, no Brasil, viu não apenas denúncias de que esse cidadão é bandido, mas comprovações claras e cristalinas da sua canalhice, junto a políticos safados e corruptos, a voz dele em inúmeros telefonemas gravados, o tráfico de influências, a corrupção escancarada e clara... enfim, não ficou a menor dúvida de que o safado de fato é bandido.

Ser acusado de um crime é uma coisa, ser flagrado cometendo o crime é outra totalmente diferente.

No entanto, já que vivemos em um país onde só há justiça para quem tem dinheiro, o bandido contratou o poderoso advogado Márcio de Thomaz Bastos, aquele mesmo que foi Ministro da JUSTIÇA, que aceitou defendê-lo, mesmo sabendo que se trata de um bandido, por honorários que, segundo consta, de 15 milhões de reais.

Que qualificação moral pode ter um advogado que se propõe a defender um bandido deste?

Não estamos falando de advogado que, no exercício honesto do seu dever, patrocina a ação de um cidadão que, apenas, está sendo acusado de um crime, mas sem ser criminoso ou que até talvez o tenha cometido de forma culposa e não dolosa ou que tenha cometido em legítima defesa ou movido por conseqüências de  um seqüestro, uma chantagem ou uma pressão qualquer que lhe levou ao descontrole. Isto é aceitável e é o papel do advogado decente. Estamos falando de um advogado que sabe que o seu cliente é bandido, é canalha, é safado e sem vergonha, mas TEM DINHEIRO. É como advogado de traficante, que sabe que o cara trafica drogas mesmo, sabe que mata mesmo, sabe que é bandido mas está lá na tal “justiça” querendo que ele não seja punido.

Pois é. O Ministério da JUSTIÇA esteve durante algum tempo entregue às mãos de um advogado com essa índole. Não estou falando num ministeriozinho qualquer, tipo Ministério da Pesca ou qualquer outro ministério fabricado apenas para agradar a políticos de um determinado partido, estou falando no Ministério da J-U-S-T-I-Ç-A.

Parece brincadeira, não é? Mas é a realidade do Brasil.

O cinismo da “justiça” brasileira é tão grande, que consta que arrumaram um diploma de curso superior para o bandido, a fim de que ele possa ter a chamada prisão especial.

É assim, essa sem vergonha dessa justiça: Se um bandido qualquer tiver curso superior, não importa se verdadeiro ou não o diploma, pode ter ele cometido o crime mais hediondo que você imaginar, ele vai ter prisão especial e sofrendo menos a punição, como se o simples fato de ter curso superior diminuísse o nível do crime, da crueldade e da perversidade. No entanto, se uma pessoa de bem, que é vítima de um momento difícil que não pode honrar um cheque pré-datado que emitiu, que é qualificado como infiel depositário ou que não pode pagar uma pensão alimentícia, como o caso da dona Luiza Pereira Rodrigues, esses, por não terem curso superior, vão mofar mesmo nas celas comuns e fedorentas.

E tem outra coisa que é revoltante: O bandido foi instruído a NÃO RESPONDER NADA no processo, porque esta é mais uma estratégia estúpida para livrar bandidos da condenação. Se alguém não deve nada, por que tem medo de abrir a boca?

Desculpe, senhor ministro Thomás Bastos, mas a sua atitude em defender Carlinhos Cachoeira é uma afronta à dignidade do povo brasileiro, é uma subestima à inteligência do povo, é uma vergonha, como diz o Boris Casoy.

E tem outra coisa:

Se todos os bens do bandido Cachoeira estão bloqueados pela Justiça, de onde virão os 15 milhões necessários para pagar os honorários do Thomás Bastos?

 

Você acredita que o Cachoeira ficará preso?

 

Só se você for um brasileiro muito idiota.

Se o José Roberto Arruda não ficou preso, e nem devolveu o dinheiro que roubou; se o Juiz Lalau não está preso, e nem devolveu o dinheiro que roubou; se nenhum político ladrão e corrupto está preso e também não devolveram os dinheiros que roubaram, Delúbio, Valério e outros estão soltos, quem é que vai acreditar que Cachoeira vai ficar preso?

Quem quiser pode anotar, mas o que vai acontecer, COM CERTEZA ABSOLUTA, é o seguinte:

Ele vai ficar solto e à imprensa dirá o que a JU$TI$$A concluiu: nada foi comprovado, contra ele.

Ou, de repente, surgirá o noticiário que ele foi encontrado morto.

Aí, o que será divulgado?

Que ele já vinha tendo problemas no coração, há muito tempo, e que foi vítima de um infarto fulminante.

Até a belíssima mulher dele, obviamente dirá que de fato ele sentia dores de vez em quando. Ninguém saberá porquê e por quais condições ela estará dizendo isto, mas terá que dizer.

Todo mundo está cansado de ver, nos filmes e nas novelas, inúmeros exemplos de envenenamentos, sufocamentos e várias formas de eliminar pessoas que ameaçam poderosos, mas o país todo vai fingir que não sabe disto e muitos milhões de idiotas vão acreditar que foi infarto mesmo, do mesmo jeito que acreditaram que Juscelino Kubitscheck foi vítima mesmo de um acidente de carro normal.

A VEJA vai questionar a “causa mortis”, a ISTO É vai questionar, a ÉPOCA vai questionar, o assunto vai ficar no noticiário por algum tempo e um mês depois todo mundo esqueceu, fala-se de outras coisas, fala-se da copa do mundo, fala-se do “Ah, se eu te pego” do Michel Teló, fala-se de campeonato do Flamengo ou do Corinthians e tá tudo resolvido, volta o ridículo Brasil à sua rotina de sempre, sem que nada mude.

Podem anotar e me contem depois.

 

Apenas para "refrescar" a mente, repasso essa coisinha interessante que me mandaram pela internet.

Nenhum comentário:

Postar um comentário